Judiciária desmantela rede de agiotagem com mais de uma centena de membros

Numa operação conduzida da terça-feira – e que se prolongou por mais de dez horas e visou 21 locais – a polícia de investigação do território apreendeu mais deois milhões de dólares de Hong Kong em dinheiro e fichas de jogo. A rede operava desde 2011 e terá lesado centenas de apostadores.

A Polícia Judiciária anunciou esta quinta-feira a detenção de 113 pessoas, suspeitas de integrarem uma rede de agiotagem. Numa operação de grande envergadura, a polícia de invstigação do território conduziu à esquadra um total de 113 suspeitos, mas vários outros alegados membros da organização continuam a monte, revelou na quinta-feira a PJ.

A operação fez culimnar uma investigação que se encontrava em curso desde 2016, ano em que as forças de segurança do território foram alertadas por uma denúncia anónima para as actividades conduzidas por uma rede criminosa que operava na strip do Cotai.

O grupo, adiantou um porta-voz da Polícia Judiciária, estava activo desde 2011 e contava com mais de uma centena de membros activos, a maior parte dos quais cidadãos da República Popular da China.

No âmbito da operação que conduziu ao longo dos dois últimos anos, a Polícia Judiciária identificou ainda o líder da organização criminosa, um residente da vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong com negócios no território. Para além da prática de usura, os detidos são ainda suspeitos de terem sequestrado vários apostadadores que se revelaram incapazes de pagar as suas dívidas. A maior parte das vítimas da rede eram visitantes oriundos da República Popular da China.

Lai Man Vai, porta-voz da Polícia Judiciária, adiantou que a rede agora desmantelada era uma estrutura altamente organizada, com uma hierarquia bem definida e uma clara divisão de tarefas. Os membros do grupo eram ensinados a escapar a operações policiais: “Para além de mudarem provas com frequência entre diferentes locais, também descobrimos durante a nossa investigação que a própria rede criminosa definiu regras que exigiam que os seus membros mantivessem um comportamento discreto. Eles também aprendiam a interagir com as autoridades se fossem interceptados ou conduzidos à esquadra”, explicou Lai Man Vai, citado pela TDM.

Durante uma operação que se prolongou por dez horas, na terça-feira, agentes da Polícia Judiciária conduziram rusgas em 21 locais a partir dos quais o grupo operava, tendo descoberto mais de dois milhçoes de dólares de Hong Kong em dinheiro e fichas de jogo, bem como capital em outros activos financeiros.

A PJ está ainda a procurar determinar o número total de empréstimos e de vítimas da rede criminosa começou a operar em 2011. Até ao momento, a polícia de investigação do território conseguiu apurar que entre Setembro de 2016 e Junho deste ano, a organização concedeu 260 empréstimos no valor de 70 milhões de dólares de Hong Kong.

Lai Man Vai assegurou que os suspeitos não fazem parte de tríades, mas alguns têm ligações muito próximas com outros tipos de crime organizado.O responsável assegurou ainda que apesar de vários membros da rede criminosa se manterem a monte, a sua identidade já é conhecida. Os detidos terão que responder perante a justiça pelos crimes de associação criminosa e de usura. Alguns são ainda suspeitos de sequestro.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.