Jogo. Japão continua a ser a grande prioridade para Lawrence Ho

Fotografia: GGR Asia

O director executivo da Melco Internacional reiterou esta manhã que a grande prioridade do grupo é garantir um licença de jogo no Japão. O magnata do jogo considera que a indústria do turismo no Japão está subaproveitada e que aproveitar o “boom” no número de turistas chineses que deverão visitar o arquipélago ao longo da próxima década.

O empresário Lawrence Ho, filho do fundador da Sociedade de Jogos de Macau,Stanley Ho, está determinado em apostar forte e feio no Japão com o propósito de impulsionar a expansão internacional da Melco International, a operadora hoteleira a que preside

“Só para meter as coisas em escala: Nós quase que conseguimos meter 73 ‘Macaus’ dentro da cidade de Tóquio”, afirmou o director executivo da Melco International, referindo-se às potencialidades turistícas, pouco aproveitadas no Japão, durante o discurso inaugural da Global Gaming Expo Asia (G2E Asia), que hoje arrancou no “The Venetian Macao”.

“A indústria do turismo representa 10 por cento do PIB [Produto Interno Bruto] mundial e emprega cerca de um décimo da força de trabalho no mundo”, disse Lawrence Ho, de 42 anos. O empresário lembrou, no entanto, que “no Japão estes números caem para 6,7 por cento”.

Em relação às potencialidades turísticas, o Japão “está completamente subvalorizado, ainda por cima porque já tem todas as infraestruturas e redes de comunicação necessárias”, declarou.

Para dar mais um exemplo da subvalorização turística que caracteriza o Japão, Lawrence Ho referiu que “em 2017 visitaram Macau 33 milhões de pessoas e houve 29 milhões de visitantes em todo o Japão”.

De acordo com o director executivo da Melco International, o número de turistas chineses no Japão vai quase duplicar até 2025: “Mesmo a tempo de nós conseguirmos abrir o nosso primeiro resort integrado, no Japão”, destacou Ho. “A China contribuiu com quase 60 por cento para o crescimento do turismo do Japão nos últimos cinco anos”, disse ainda, acrescentando que o número de visitantes chineses em terras nipónicas possa superar a barreira dos 125 milhões até 2025.

O filho do fundador da Sociedade de Jogos de Macau Stanley Ho voltou assim a reiterar a aposta no Japão, algo que já tinha feito durante a apresentação dos resultados do grupo em 2017, onde sublinhou que “o Japão continua a ser a prioridade de desenvolvimento” da Melco.

Lawrence Ho investiu nas Filipinas e na Rússia e quer agora “atacar” o Japão, onde os casinos foram legalizados em Dezembro de 2016. Em Outubro passado, Ho tinha afirmado, em entrevista à agência noticiosa France Presse, que Macau deverá continuar a ser a base do grupo, independentemente da sua expansão internacional: “Macau vai continuar a ser o melhor mercado do mundo para os complexos integrados de jogo por ser a porta de entrada na China”, garantiu, na altura.

A Melco Internacional está presente na China, nas Filipinas e em Macau e garantiu a primeira e única concessão para um casino em Chipre.

A operadora de jogo Melco Resorts & Entertainment, uma das seis concessionárias que operam em Macau, anunciou em Fevereiro que obteve receitas de 5,3 mil milhões de dólares em 2017, com lucros atribuíveis ao grupo de 347 milhões de dólares.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.