Governo quer promover festival de cinema sino-lusófono

A novidade foi hoje avançada por Alexis Tam à agência Lusa, à margem de uma visita ao Museu de Arte de Macau. O secretarário para os Assuntos Sociais e Cultura assumiu a intenção de organizar um festival de cinema com filmes da China e dos países de língua portuguesa. O governante  promete ainda um fórum cultural sino-lusófono de grandes dimensões dentro de dois anos.

 

O Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura de Macau, Alexis Tam, afirmou este sábado que a 1.ª ARTFEM – Bienal Internacional de Mulheres eleva o território como Centro Mundial de Turismo e Lazer, mas reconhece ainda que há ainda “muito para fazer”.

Na véspera do encerramento da bienal, Alexis Tam acompanhou 50 membros da Associação de Mulheres de Macau numa visita guiada à exposição, patente no Museu de Arte. À margem do evento, o titular da pasta dos Assuntos Sociais e Cultura disse à agência Lusa que há ainda “muito para fazer” relativamente ao papel de Macau como plataforma de intercâmbio cultural entre vários países, mas garantiu que o Governo tem apoiado muito o sector da cultura.

Para Alexis Tam, o exemplo mais evidente desse apoio é o Fórum Cultural entre a China e os Países Lusófonos, que vai ser realizado em Julho. O secretário declarou que irá começar como “um fórum pequeno”, mas no prazo de dois anos tornar-se-á num fórum de “grandes dimensões”: “Vamos fazer ainda um festival de cinema sino-lusófono e realizar exposições de artistas dos países lusófonos, conferências e outro tipo de actividades”, frisou.

Por último, o secretário destacou a recente viagem às capitais da Tailândia e do Camboja, onde acompanhou o chefe do Governo de Macau, Fernando Chui Sai On, em vários encontros com os dirigentes dos dois países.

De acordo com o governante, os ministros de ambos os estados sublinharam a importância de Macau como plataforma de intercâmbio e cultura.

Organizada pelo Albergue SCM e pelo Museu de Arte de Macau, a ArtFem Mulheres Artistas – 1.ª bienal internacional de Macau reuniu pinturas de mais de uma centena de artistas: “Contamos com artistas de mais de 20 países dos cinco continentes. A lusofonia está toda representada – desde o Brasil a Timor, Macau, Angola, Moçambique”, o que contribuiu para “superar largamente as expetativas”, disse na sexta-feira à agência  Lusa o director do Albergue SCM, Carlos Marreiros.

A ArtFem Mulheres Artistas encerra amanhã e está de regresso em 2020, de acordo com o mesmo responsável.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.