Comércio. Aumento das exportações não travou crescimento do défice

Entre Janeiro e Março, Macau exportou mais 0,8 por cento do no mesmo período do ano passado. O fosse entre os bens exportados e os bens importados continua, ainda assim, a aumentar. No primeiro trimestre as importações cresceram 27,2 por cento e o défice comercial atingiu os 19,65 mil milhões de patacas.

As exportações de Macau aumentaram 0,8 por cento no primeiro trimestre do corrente ano, em relação ao período homólogo de 2017, mas o défice da balança comercial local continua a aumentar devido ao crescimento das importações em 27,2 por cento, foi esta segunda-feira anunciado.

De acordo com os dados oficiais divulgados pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos do Governo local, o défice da balança comercial alargou-se para 19,65 mil milhões de patacas, qualquer coisa como 1,98 mil milhões de euros.

Macau exportou bens, entre Janeiro e Março, avaliados em 2,97 mil milhões de patacas, mais 0,8 por cento do que entre Janeiro e Março de 2017.

Apesar do crescimento das exportações globais de Macau, o défice da balança comercial local ampliou-se para 19,65 mil milhões de patacas, fruto do forte aumento das importações em 27,2 por cento para 22,62 mil milhões de patacas.

No mesmo período do ano passado, o défice da balança comercial era de 15,06 mil milhões de patacas, menos 4,59 mil milhões de patacas do que neste ano. O valor total do comércio externo de mercadorias registado até Março atingiu 25,59 mil milhões de patacas, mais 23,4 por cento, em relação ao período homólogo anterior, de acordo com os dados divulgados pelo DSEC.

As exportações para a China continental atingiram, no período em análise, 471 milhões de patacas, mais 15,2 por cento, face a idêntico período do ano passado.

O valor das exportações para as nove províncias do Delta do Rio das Pérolas, vizinhas de Macau, no sul do país, representou 97,4 por cento da totalidade das exportações para a China continental.

Já as vendas para os Estados Unidos e a UE caíram 25,9 por cento e 21,7 por cento, respetivamente, em termos anuais. As exportações para Hong Kong registaram uma descida de 1,1 por cento.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.