IPM quer lançar programa de mestrados e de doutoramentos já em Setembro

O Instituto Politécnico de Macau tenciona lançar programas de mestrado e doutoramento já no início do próximo ano lectivo, depois da nova Lei do Ensino Superior entrar em vigor. A intenção foi esta manhã avançada à margem da cerimónia de abertura de uma conferência em que o antigo reitor da Universidade de Lisboa, António Sampaio da Nóvoa, foi distinguido com o estatuto de professor honorário.

O Instituto Politécnico de Macau (IPM) poderá começar a escreve,  já no início do próximo ano lectivo, uma nova página no seu percurso pedagógico, com a abertura de programas de mestrado e de doutoramento em áreas como o ensino de português, enfermagem, informática, artes ou educação física.

A criação dos novos cursos, recordou Lei Heong Iok está dependente da entrada em vigor da nova Lei do Ensino Superior. Se o diploma passar a vigorar a partir de 7 de Agosto, como está previsto, o Instituto Politécnico deverá lançar em Setembro alguns dos programas já delineados: “A título interno, o Instituto Politécnico de Macau tem feito muitos preparativos para lançar algumas novidades depois da entrada em vigor desta nova Lei. Na calha estão cursos de mestrado – ou mesmo de doutoramento – na área do ensino de Português e em outras áreas, como a enfermagem, a informática, as artes, a educação física e o desporto”, explicou o presidente do IPM.

A possibilidade foi esta manhã aventada por Lei Heong Iek, à margem da cerimónia de abertura de uma conferência multidisciplinar sobre tradução, interpretação, educação em línguas e formação de professores de português. O certame trouxe ao território mais de uma dezena de académicos e especialistas portugueses, entre os quais Isabel Pires de Lima e António Sampaio da Nóvoa. O antigo reitor da Universidade de Lisboa e actual Embaixador de Portugal junto da UNESCO foi, de resto, distinguido de Professor Coordenador Honorário do Instituto Politécnico de Macau: “É uma grande honra para nós. Mas não se trata de apenas uma honra. O professor referiu, no seu discurso, a importância da ideia de vínculo. Vínculo que herdámos do passado, mas que se manifesta no presente e que nos permite assegurar o futuro. É um vínculo não só entre mim e o meu grande amigo Sampaio da Nóvoa, mas também – e através dele – com Portugal”, assumiu o dirigente.

António Sampaio da Nóvoa diz-se honrado com a distinção que lhe foi atribuída pelo Instituto Politécnico de Macau, mas entende que o título de professor honorário, mais do que uma honra, constitui um compromisso para o futuro: “A honra só serve se se projectar no futuro. As honrarias não têm sentido para o passado, têm sentido para o futuro. Recebo esta distinção como um compromisso para o futuro  e para se continuar a trabalhar do ponto de vista da língua portuguesa, do ponto de vista das colaborações entre as nossas instituições, do ponto de vista das colaborações entre Macau e Portugal que me parecem centrais para o futuro da nossa língua, mas também para o futuro de Portugal”, assumiu o antigo reitor da Universidade de Lisboa.

As temáticas abordadas e a abordar na conferência que hoje teve início prendem-se com domínios como a investigação para fins académicos, a formação de tradutores e intérpretes  e a discussão de questões relativas à tradução e interpretação. Entre os conferencias estão também  e entre outros Isabel Alarcão, da Universidade de Aveiro, Luís Reis Torgal, da Universidade de Coimbra e Maria José Grosso, da Universidade de Macau.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.