PSP: Corporação abre processos disciplinares a agentes

Um terá falsificado documentos para recrutar trabalhadores de forma fraudulenta. Os outros terão entrado num casino na zona do NAPE e deitado a mão a fichas de jogo que um apostador deixou numa mesa. Na qualidade de funcionários públicos, os agentes das forças da ordem estão, recorde-se, proibidos de entrar em estabelecimentos de jogo.

O Corpo de Polícia de Segurança Pública anunciou esta terça-feira a abertura de um processo disciplinar para averiguar das responsabilidades de um agente da corporação num processo de recrutamento de natureza fraudulenta, noticiou esta terça-feira a emissora em língua chinesa da Rádio Macau.

O agente em causa, que não foi identificado pela PSP, é suspeito de ter falsificado documentos. O caso foi entregue ao Ministério Público para novas averiguações, mas a Polícia de Segurança Pública não vai aguardar até que a Procuradoria avance com as conclusões e anunciou hoje que o agente em questão vai ser submetido a um processo disciplinar.

A mesma medida foi aplicada aos agentes que na semana passada se terão apropriado das fichas de jogo deixadas numa mesa por um apostador que se terá ausentado momentaneamente. O caso remonta a sexta-feira da passada e desde então os agentes em causa terão voltado a dar entrada no mesmo estabelecimento de jogo, em violação das disposições legais que impedem os funcionários públicos de apostar ou de simplesmente entrar nos casinos.

Os responsáveis pelo Corpo de Polícia de Segurança Pública lamentam o envolvimento de agentes da corporação em infracções de natureza criminal, mas asseguram que a Lei é igual para todos. A Polícia de Segurança Pública instou ainda os agentes em posições de liderança a fomentar práticas estritas de disciplina, com o propósito de garantir que episódios da índole não se voltem a repetir.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.