Governo assina protocolo sobre participação no projecto “Uma Faixa, Uma Rota”

O Chefe do Executivo, Fernando Chui Sai, deverá assinar em Pequim o memorando de entendimento que deverá nortear a participação de Macau na iniciativa “Uma Faixa, uma Rota”. Chui Sai On partiu esta manhã para a capital chinesa para participara na sessão de abertura da reunião anual da Assembleia Nacional Popular.

Fernando Chui Sai On vai assinar esta semana, em Pequim, um acordo relativo à participação da Região Administrativa Especial na iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”.
Antes de partir para a capital chinesa, esta manhã, Chui Sai On prestou declarações aos jornalistas. O líder do Governo que o memorando, sobre “a participação e apoio de Macau à programação geral e à concretização do projecto “Uma Faixa, Uma Rota” vai ser assinado com a Comissão de Desenvolvimento e Reforma da República Popular da China.
O Chefe do Executivo assiste amanhã de manhã à cerimónia de abertura da primeira sessão da 13.ª Assembleia Popular Nacional (APN), certame que se realiza no Grande Palácio do Povo. Durante a estadia, Chui Sai On vai visitar vários departamentos do Governo central, incluindo a Comissão de Desenvolvimento e Reforma, o Ministério do Comércio e a Administração de Alimentos e Medicamentos chinesa, de acordo com uma nota de imprensa publicada pelo Gabinete de Comunicação Social.
Na visita que deverá efectuar ao Ministério do Comércio e à Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, o Chefe do Executivo deverá encetar um diálogo sobre o plano concreto dos trabalhos inerentes à participação e apoio de Macau à iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, indica o mesmo comunicado.
Na breve conversa que manteve com a imprensa, Chui Sai On lembrou também a participação de Macau na primeira Exposição Internacional de Importações da China, evento que decorre em Novembro, em Xangai. O certame só se realiza no final do ano, mas já constituída uma delegação do território, com representantes de serviços públicos, de associações de chineses ultramarinos e ainda empresários.
No início do mês passado, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) anunciou que vai levar produtos dos países lusófonos à exposição, através de delegações de empresas de produtos alimentares de Macau e de agentes e distribuidores de alimentos dos países de língua portuguesa que operam no território.
A Direção dos Serviços de Turismo vai organizar também a participação de operadores turísticos locais: “Macau também quer usar esta exposição para demonstrar ao resto do mundo que, após a transferência de poderes, a Região tem obtido resultados frutíferos sob o apoio e empenho do Governo Central, aproveitando as vantagens do princípio ‘Um País, Dois Sistemas’ e do desenvolvimento socioeconómico”, pode ler-se numa comunicado.
Com a participação no certame, o Governo pretende “demonstrar que as máximas – ‘Centro Mundial de Turismo e Lazer’ e ‘Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa’ – funcionam com eficácia, servindo assim a exposição igualmente para o reforço da interação com os mercados da China interior e internacionais”, de acordo com a nota.
Anunciada pelo Presidente chinês, Xi Jinping, em Maio passado, durante o fórum “Uma Faixa, Uma Rota” para a cooperação internacional, a Exposição Internacional de Importações da China constitui uma medida de Pequim para apoiar a liberalização do comércio e a globalização económica, abrindo ainda mais o mercado chinês ao mundo.
Em relação ao desenvolvimento da indústria da Medicina Tradicional Chinesa em Macau e do Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa para a Cooperação Guangdong-Macau, onde Portugal está representado, Chui Sai On afirmou esperar, na próxima fase de desenvolvimento do parque, conseguir obter “medidas benéficas e pioneiras para que a estrutura alcance melhores condições de desenvolvimento”.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.